infancia turbRevista Isto É – Maio 2005- n° 1858

Foi nessa época que os neurocientistas relataram o quanto é extraordinário o progresso do cérebro nos primeiros anos de vida. Seus estudos comprovaram que a um simples carinho da mãe milhares de neurônios se conectam ao cérebro do bebê. Essas conexões, chamadas de sinapses, são as pontes entre os neurônios e permitem a troca de sinais entre eles. Se muitas delas forem criadas e fortalecidas por estímulos positivos no início da vida, a criança terá mais chances de ser um adulto saudável, com bom desempenho na escola, no trabalho e na vida afetiva.

Dentro dessa perspectiva, surgiu o conceito das janelas de oportunidade- fases propícias para o desenvolvimento de certas habilidades. O aprendizado de línguas e o contato com um instrumento musical, por exemplo, seriam interessantes até os dez anos de idade. Também na primeira infância criam-se os modelos para as relações sociais. Estes conceitos formam a base da programação da escola paulista AeD Aprendizagem e Desenvolvimento.

Lá, crianças de três anos fazem aula de violino. “Só a herança genética não garante a capacidade intelectual de uma criança”, defende a superintendente Júlia Manglano. Os métodos utilizados são o americano Early Intervention Education e o espanhol Aprendizajes Tempranos. A estimulação é feita com exercícios, jogos pedagógicos, músicas e cartelas com figuras, quadros e palavras.

Fale conosco

Escreva aqui sua mensagem que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

Digite aqui sua busca